31/03/2017 14:16
De Dante Alighieri a Pier Paolo Pasolini: Um passeio pela poesia italiana

Enveredar pelos caminhos da literatura também é uma maneira fascinante de viajar pela Itália. Nesse mês de março, quando se comemora o Dia Mundial da Poesia (21/03), uma boa pedida é conhecer alguns poetas italianos. São muitos os expoentes dessa arte no País! 

Apesar do risco de cometer injustiças e deixar grandes nomes de lado, sugerimos um pequeno percurso literário para quem deseja começar a ter mais referencias dos mestres italianos em compor versos. Podemos começar?

Vamos voltar, então, ao final do século XIII e início do XIV para falar de um dos mais conhecidos poetas da Itália até os dias de hoje: Dante Alighieri. Representante do Dolce Stil Nuovo, corrente de escrita que sucedeu a Scuola Siciliana, ele é o autor do clássico da literatura mundial La Divina Commedia (A Divina Comédia).

Seguimos o nosso caminho com um escritor que é tido como o fundador do humanismo, movimento ligado ao surgimento da Renascença. Estamos falando de Francesco Petrarca. Considera-se que ele foi o primeiro poeta a ser laureado, ou seja, a receber uma coroa de louro como símbolo de sua relevância. O título foi dado a ele em Roma, em 1341. Entre a obra de Petrarca, que também era filósofo, está o Canzoniere (Cancioneiro). 

Outro importante humanista é Giovanni Boccaccio, amigo e admirador de Petrarca. Muito reconhecido por sua prosa, principalmente por Decameron (Decamerão), ele também escreveu poesia. 

Adiante em nosso trajeto, encontramos um grande representante da poesia renascentista: Torquato Tasso. La Gerusalemme liberata (Jerusalém Libertada) é considerado o seu grande trabalho. Já entre os românticos, o destaque é de Giacomo Leopardi. Passamos, então, para o final do século XIX, período em que viveram e escreveram grandes obras Giovanni Pascoli e Gabriele D’Annunzio. 

A seguir, na primeira metade do século XX, formam o trio mais importante da literatura italiana Eugenio Montale (Prêmio Nobel de Literatura de 1975), Salvatore Quasimodo (Prêmio Nobel de Literatura de 1959) e Giuseppe Ungaretti, que chegou a ser professor da Universidade de São Paulo (USP). Os três são considerados participantes do hermetismo. 

Para finalizar o nosso passeio literário, passamos para os anos 1950. Aqui, destacamos apenas um escritor. Não por não haver outros, mas por uma curiosidade. Um grande nome dessa época é Pier Paolo Pasolini. Muito mais conhecido por sua obra no cinema, ele também fez poesias. 

Gostou dessa “viagem”?! Então, agora é hora de buscar as obras dos poetas que destacamos. Nessa pesquisa, você vai se deparar com outros importantes expoentes da poesia italiana que acabaram não sendo citados, incluindo, autores mais recentes. Boa leitura!


Deixe também seu Comentário:

Nome Completo:*
E-Mail:*
Título:*
Mensagem:*

Código de Verificação:
Digite abaixo o código ou clique no
ícone para gerar um novo código

Status do Código Digitado:
 

Enviar     Limpar